Áreas degradadas em obra na Paralela recebem biomantas de fibra de coco

0
81

Biomantas de fibra de coco fabricadas no Conde, pela Fibraztech, marca do Grupo Aurantiaca para produtos derivados da fibra de coco e geotéxteis, estão sendo aplicadas na obra do complexo de viadutos no bairro do Imbuí, na Avenida Paralela. São 15 mil m² de biomantas, utilizados no processo de hidro-semeadura para controle de erosão e repovoamento da vegetação da área degradada.

Segundo o diretor comercial da Aurantiaca, Sérgio Ribeiro, a utilização de biomantas torna o procedimento mais rápido e garante maior eficiência na re-vegetação da área degrada, além de proteção imediata ao talude em que está sendo efetuada a terraplanagem. As biomantas são utilizadas também na bioengenharia, em agronegócios, mineradoras e na indústria automotiva. O aspecto da biomanta é de um cobertor de fibras que sai da fábrica revestida por um filmito.

Para o vice-presidente da Aurantiaca, Roberto Lessa, a aplicação na obra do complexo de viadutos contribui para mostrar a utilização do material e seu benefício nas engenharias. “As pessoas que passam na região da Paralela conseguem verificar em uma grande extensão que a biomanta pode proporcionar uma rápida re-vegetação de taludes (barranco)”, comenta.

De acordo com Lessa, a utilização das biomantas na obra do Imbuí facilita a realização do processo de hidro-semeadura, que consiste em lançar sementes em áreas de solo desprotegido, fazendo com que ocorra uma nova vegetação. As biomantas auxiliam a fixar as sementes no solo e proteger a vegetação em crescimento, evitando o deslizamento de barrancos durante a construção de estradas e ferrovias.

“A casca de coco seco é processada e dela retirada a fibra. Na etapa seguinte, as fibras entram em uma máquina de tecelagem para a produção. As mantas podem ser produzidas em diversas gramaturas, dependendo da finalidade da aplicação”, explica Lessa. Ele afirma que a Fibraztech está utilizando a mais alta tecnologia disponível no mundo, em processos e equipamentos.

A indústria da Aurantiaca está instalada na região do Conde e já investiu R$ 270 milhões no segmento do coco pretendendo finalizar em 2015 com R$ 370 milhões investidos. “Nossa indústria é a primeira do Brasil com capacidade para produzir com qualidade e volume biomantas derivadas da fibra de coco. Além disso, a fábrica também possui laboratório próprio para caso seja necessário atender a demandas específicas de desenvolvimento para os nossos parceiros”, pontua o executivo Lessa.

Fonte: http://www.tribunadabahia.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui