Coqueiro (Cocos nucifera)

0
429

Nome Científico: Cocos nucifera
Família: Palmae
Características Morfológicas: Esta árvore tem, em média, de dez a 20 metros de altura. Muito excepcionalmente chega a medir 30 metros. O tronco fica entre 20 e 30 centímetros de diâmetro. As folhas também não são pequenas (ficam entre dois e três metros de comprimento). Afora isso ainda tem o cacho (chamado de espádice) com 80 a 100 centímetros de comprimento. O fruto é uma noz grande com uma semente recoberta por uma casca dura.
Origem: Brasil (embora não ocorra só por aqui; algumas correntes dizem que ele é originário da Índia).
Ocorrência Natural: Ocorre do Pará até São Paulo, mas principalmente do Rio Grande do Norte à Bahia.

Quem nunca tomou uma água de coco na praia, ao menos já a encontrou em caixinhas, feito suco, em supermercados e outros estabelecimentos. Pois é justamente do coco deste coqueiro que essa água vem.

Seus outros nomes populares são coco-da-bahia, simplesmente coco, ou coqueiro-da-bahia. No interior da casca encontra-se a amêndoa, que é a parte comestível (com cerca de um centímetro de espessura) e na sua cavidade cheia de líquido, a famosa água de coco. Dizem que a sua composição é semelhante a do soro fisiológico, o que a torna eficiente para hidratar a pele, reduzir o colesterol, combater a desidratação, enjoos e também a retenção de líquidos no organismo.

Embora da formação do fruto até o seu amadurecimento se leve 12 meses, é fácil encontrá-lo o ano inteiro, por conta dos vários híbridos da espécie.

O coqueiro-anão-verde é o mais precoce deles, podendo florescer até com dois anos de idade após o seu plantio. Mas como planta essencialmente tropical, ele precisa de água e calor (não inferior a 22 graus) para a floração.

Fora a água, a polpa do coco – rica em proteínas e vitaminas – pode ser consumida ao natural, ralada, ou ainda utilizada no preparo de pratos típicos, especialmente os da culinária nordestina.

Fonte: http://g1.globo.com/

Além de toda essa gama de aplicações, a madeira deste coqueiro também é muito usada como pilastras de cais para barcos pesqueiros, em construções rurais e na confecção de objetos artesanais. Tem também ótima aplicação em paisagismo, sobretudo na orla das cidades da costa atlântica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui